2
Mai
2020

Todo veículo tem algumas peças de desgaste natural e precisam ser substituídos regularmente ao fim de sua vida útil, uma delas é a embreagem. Ela é responsável por desacoplar o motor da transmissão para a troca de marchas e geralmente o prazo médio para a troca é de 60 mil km, considerando uma média de acordo com modelo do automóvel e principalmente o motorista.


Segundo nossas pesquisas, muitas pessoas não sabem usar a embreagem, até mesmo motoristas experientes. Ela é formada por um conjunto de disco e platô. É por meio do disco que é possível transmitir o torque do motor para as rodas, utilizando atrito. Caso essa peça apresente o pedal muito baixo ou duro demais, vibração ao soltar o pedal ou dificuldade no engate das marchas fique de olho pois são sinais de que a peça necessita de uma substituição!


Quer saber quais hábitos podem prejudicar essa vida útil? Fique ligado e siga nossas dicas!


1 - 'Segurar' o carro com a embreagem dosar os pedais da embreagem e do acelerador em um aclive para manter o veículo parado é uma prática que requer prática. No entanto, se você faz isso com frequência, pode acabar prejudicando muito o sistema do seu veículo, afinal, nesse caso, há um escorregamento severo no contato do platô com o disco e isso provocando um desgaste, reduzindo a vida desses componentes. O ideal é usar o freio de mão na subida antes de arrancar com o veículo.


2 – Manter o pé apoiado no pedal o pedal de embreagem deve ser acionado a até o final somente com a troca de marcha. O costume de deixar o pé apoiado no pedal causa maior desgaste do sistema. Mesmo pressionando levemente o pedal, não há atrito total entre o disco e o platô. Com isso, o disco 'escorrega', causando um efeito de lixa, desgastando a peça.


3 - Deixar o carro engatado no semáforo o correto é deixar o câmbio em ponto-morto e acionar o freio e só engrenar o veículo quando chegar a hora de se movimentar novamente, pois ao manter o pé no pedal de embreagem, com o motor ligado e o câmbio engrenado você prejudica seu veículo. Portando se você pisar o pedal até o fundo, disco e platô não serão afetados; porém outros componentes acabam sofrendo com o hábito.


4 - Rodar com marcha muito alta colocar uma marcha mais alta para reduzir a rotação do motor, achando que dessa maneira irá reduzir o consumo de combustível é uma prática comum entre motoristas. Mas se a marcha é incompatível com a velocidade, as rotações ficam baixas forçam o sistema de embreagem. O ideal, é usar a marcha correta, mantendo os giros entre 2.000 rpm e 3.000 rpm.


5 - Rodar com excesso de peso, essa dica vale principalmente para aqueles que dirigem veículos utilitários, como picapes, furgões, vans e caminhões, mas carros de passeio também devem prestar atenção. Carga pesada gera excesso de torque no sistema de embreagem. Peso demais também compromete a suspensão e os pneus.